segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Devil May Cry 3- Special Edition




Gráficos: 8,8
Som: 8,0
Jogabilidade: 9,0
Diversão: 8,7
Replay: 8,0
Desafio: 9,2

NOTA FINAL: 9,0



Controles:
R1- Mira no oponente
◘- Atira
R2- Escolhe armas brancas
L2-Escolhe armas de fogo
L3( analógico esquerdo) - movimenta o personagem, se pressionado, escolhe alvo.
R3( analógico direito)- movimenta a câmera.
X- Pula
L1- Aciona o modo Devil
Botão direito- Vê os itens
Botão esquerdo- Vê o mapa
Cima- Utiliza itens
Baixo- Multi.
O- Ação, Habilidade especial
Triângulo- Ataca

OBS: Esses controles possuem funcionalidades diferentes se pressionados em pares ou repetidamente ( Mas isso, você aprende jogando...).


E les estão pedindo... Então, faça os chorar! Em 2001, foi lançado um jogo que deu o quê falar... Esse tal jogo contava a história de Dante, um homem meio demônio, meio humano, e esse Dante, possuía sua própia loja de exorcismo nomeada de DEVIL MAY CRY. O game chamou a atenção pelos seus cenários góticos estranhamente belíssimos, excelente músicas, e é claro, os combos Matrix! Já a sua continuação.... Xiiiii... Isso é outro papo. Devil May Cry 2 foi um fiasco justamente por desfazer absolutamente tudo ( tá bem, nem tudo, tudo,mas... tudo) que o primeiro título tinha de bom. O resultado foi um game sem sal, fácil, e repetitivo. Mas em 2005, foi lançado um game,um game, que tinha tudo de bom do primeiro título, melhorou alguns aspectos do segundo, e adicionou os seus, provando quê mas do mesmo às vezes é muito bom. Esse game era Devil May Cry 3, e em 2006, foi lançado um, digamos.... melhoramento. Em Special Edition, há um novo chefe ( muito carismático, por sinal), outros modos de jogo, e é claro, Vergil, com você controlando. Os gráficos parecem não terem sofrido alteração alguma, ou seja, aqui você conta com os mesmos belos efeitos de iluminação, ótimas testuras, e um lindo efeito de blúr em certos momentos. O som é algo esplendido, ele possúi várias músicas de Rock'n roll, grunhidos de criaturas bizarras e dublagens exemplares. A jogabilidade é muito boa
, mas para se aproveitar o máximo dela, é preciso ser criativo. Como assim? Bom, aqui você têm que ser rápido no gatilho para conseguir um belo e gordo SWEET. A diversão é "muy buena", mas, ela se deve a jogabilidade, porquê uma coisa é você derrotar os inimigos dando espadadas que fazem eles voarem para em seguida mandar chumbo grosso nele até eles caírem. E a segunda é socar eles até caírem mortos. Mas,com um pouco de prática, tudo se ajeita. O replay é excelente, principalmente para quem gosta de um bom desafio devido as novas dificuldades destraváveis. O desafio, bom, ele é altíssimo. O quê você acha de morrer em um chefe e ter que recomeçar a fase toda de novo? Pois bem, é justamente o quê acontece aqui. Ou, acontecia! No início do game, você escolhe entre Yellow e Gold, e ao escolher gold, você já terá a dificuldade eazy liberada, e poderá continuar de um ponto pré-determinado quando morrer. Bem bacana,hein? Mas, quem quiser um desafio máximo, escolherá a versão Yellow. Isso poderá afastar os jogadores menos "hardcore", mas nada com quê não se acostume. Bom, resumindo, Devil May Cry 3: Special Edition têm tudo de bom que Dante's Awaeking possúi e mais algumas novidades, e, é claro, a icomparável sensação de poder fazer um demônio chorar.

Nenhum comentário: