domingo, 22 de junho de 2008

The Incridible Hulk










Gráficos: 8,8




Som: 7,5




Jogabilidade: 8,5




Diversão: 7,8




Replay: 7,5




Desafio: 7,8








NOTA FINAL: 7,8












H ulk pula, Hulk forte, HULK ESMAGA. É isso aí, após uma aparição pouco convincente no PSOne e uma bem melhor outra aparição em 2005, o gigante esmeralda retorna quebrando tudo no PS2. O jogo permite que o jogador explore várias cidades, umas, é claro, mais do que outras, por exemplo, na primeira fase do game, se passa no Brasil ( Bom, está bem, todos nós sabemos que o Brasil não é uma cidade, certo? Peraí, Brasil?! Sim! Que surpresa agradável!) e Nova York( Todos também sabemos que Nova York não é um país, certo?). E Todos os lugares são bem detalhados e altamente destruíves, algo bem raro nos gráficos de um jogo. O som é bom, porém um pouco repetitivo, as vezes o grandalão esverdeado dá dois rugidos idênticos, um atrás do outro, sem a menor vergonha na cara. A jogabilidade é altamente recomendável, Hulk possúi vários movimentos capazes de esmagar todos que se meterem com ele, ele pode escalar prédios, dar uma de King Kong ( sim, existem prédios muito altos!) e montar em cima de aeronaves e... Bom, você já sabe o resto. Tudo isso realizado da forma mais prática possível. A diversão é um assunto polêmico, uns vão achar saír destruindo tudo pela frente agradabilíssimo, outros irão achar isso uma experiência vaga. O desafio não é muito grande, mas vai um aviso: Se você não é rápido no gatilho, o jogo será muito mais difícil, em vista de quê em muitas vezes, você se verá apertando o ''X'' freneticamente. O replay depende do gosto do jogador, com já sitado anteriormente quando falavamos da diversão. Mas na minha opnião, sinceramente, não há muitos incentivos para refazer o game, além é claro da, destruição generalizada ( Cara, como eu adoro essas palavras.). Resumindo, após algumas aparições questionáveis e outras nem tanto, está aí, um jogo do grandalhão radioativo que no mínimo, vale a pena.